Meu noivo sai com seus amigos mais do que eu

Primeiro, meu noivo me enviou um e-mail – uma hora antes de eu planejar ir vê-lo em casa. No fim de semana do Dia dos Namorados. Eu estava tomando café com alguns amigos quando a mensagem atingiu minha caixa de entrada. “Minha sogra me disse que o pai do meu noivo era, na verdade, seu padrasto. Pedi para ver uma foto de seu pai verdadeiro e ela me mostrou a foto do meu pai”. A revelação deixou a moça em estado de choque. “Eu não sei como fiquei consciente e não gritei. Pedi licença, sai da sala e comecei a vomitar. Louis estava sentado na bacia do banheiro ainda de pijama, ele falou da ideia dos seus amigos para o casamento e esperava mais apoio do seu noivo. - Harry. Me dá uma ideia melhor que essa pois eu já gastei toda a minha cota – ele pediu cruzando os braços, Harry o encarou pelo espelho, pegou a toalha em cima da pia e enxugou o rosto. amigas eu fui numa festa na casa dos amigos dele ,meu noivo emsistiu p eu ir de saia larga bem curtinha ,eu cheguei a brigar c ele mais sedi as vontades ,entao la na festa os caras nao tiravam os olhos de minhas pernas eu cheguei a pedir p meu noivo me levar p casa p trocar de roupa ele ,nem deu houvidos p mim, ai ele começou a empurrar bebidas p mim eu tentava evitar ,quando me dei conta eu ... Hj em dia ele sai um final de semana sim e outro nao e sem mim qndo esta c os amigos. Na vdd o que mais me incomoda é saber que os amigos dele sao solteiros e sempre tem muitas mulheres com eles, e pior ainda postam fotos. Tenho muito ciumes, tds as noites que ele sai c os amigos eu fico no whats , no face pra saber p que esta acontecendo. Gentem simplesmente isso, meu noivo não aceita minhas amizades. As birras deles são mais com as amizades masculinas, mas também **** com amizades de meninas. Ele não gosta que ninguem fique me ligando muito se for menina, se for homem então, que nem me ligue senão já faz um monte de perguntas, desce o nível. Não posso me encontrar com um grupo de amigos (homens e mulheres ... … 28 Vós mesmos sois testemunhas do que vos disse: eu não sou o Cristo, mas fui enviado como seu precursor. 29 O que tem a noiva é o noivo; o amigo do noivo que lhe serve e o ouve, alegra-se grandemente por causa da voz do noivo. Portanto, essa satisfação já se cumpriu em mim. 30 É necessário que Ele cresça e que eu diminua. …

Minha vida emocional é um fracasso. O amor não é pra mim...

2019.11.11 02:19 batistalex Minha vida emocional é um fracasso. O amor não é pra mim...

Boa noite, este é meu primeiro desabafo, desculpem o texto longo, tem muita coisa presa na garganta que não confio contar a ninguém do meu círculo. Sei que gastar tempo lendo sobre mim pode não ser tão interessante.
Enfim... Sinto que falhei comigo, estou com 29 anos e me sinto um fracasso ambulante que não consegue lidar adequadamente com suas emoções. Nasci numa família fechada emocionalmente, onde ninguém nunca disse "eu te amo" a ninguém. Nunca vi meu pai beijar minha mãe (brigas eu vi diversas vezes). Meu pai faleceu de câncer no ano passado, e ainda sob essas condições nunca trocamos palavras de afeto (embora não houvessem palavras, as ações por si já diziam muito), e por isso eu não consigo me sentir à vontade com demonstrações de afeto até hoje.
Nunca tive uma namorada fixa, o máximo que tive foram alguns lances casuais que embora eu tivesse me esforçado muito para dar certo, não deu. Por um lado eu sei que não tenho muita habilidade em gerir meus sentimentos, por outro lado acho que tenho a famosa "mão podre" porque parece que só encontro pessoas com uma bagagem tão pesada que fica difícil sair algo de bom.
Exemplo:
Interessante que a exceção da garota 2, eu nunca me afastei de nenhuma devido aos seus problemas, até me dispus a ajudá-las mas não deu.
O mais triste é que eu sou muito "padrão". Desde minha adolescência acreditava que se era pra eu estar com alguém, que fosse pra somar. O problema é que eu nunca me senti capaz de somar, sou estou começando a mudar esse pensamento agora, mas ainda falta chão. Nunca fui de balada ou de contatinhos. Tenho uma boa aparência, treino e me alimento bem. Há 2 anos me graduei, sou Engenheiro, tenho um bom trabalho e amo o que eu faço. No entanto, minha auto-estima está no lixo. Às vezes me pego pensando nas coisas mais simples e triviais para alguns (e que muitas vezes não dão valor): Uma família feliz. Minha esposa, eu, um casal de crianças e um cachorro. Coisa besta mas que eu sempre pensei ter um dia. Mas não apenas isso, eu fantasiava que encontraria alguém cedo, que juntos viajariamos o mundo e foda-se o resto porque estaríamos felizes. Não foi o que aconteceu e me parece que não vai acontecer.
Enquanto escrevo eu literalmente estou chorando porque não consigo acreditar que falhei tão miseravelmente em algo que outros conseguem com facilidade. E não estou falando de sexo, estou falando de encontrar aquele alguém com quem você possa contar todos os dias, dividir os melhores e piores momentos, alguém que não te julgue e esteja com você pra o que der e vier. Alguém pra dividir os projetos. Isso é papo de sonhador, eu sei, as pessoas mudaram, ninguém pensa assim e talvez eu seja um dos últimos da minha "espécie". Não é difícil ver o tanto de divórcios que temos hoje em dia, ficou mais complicado. No entanto, o sentimento de frustação é tão forte que é difícil esquecer. Isso pesa muito principalmente em festas ou eventos onde normalmente meus amigos ou colegas de trabalho levam suas namoradas/esposas e para eu não me sentir mais fracassado ainda, nem apareço. Encontro uma desculpa e fico em casa.
Estou no limite da mudança, mas creio que para pior. Se não encontro o que sempre sonhei, talvez para matar a carência eu vire o tipo de cara que eu sempre critiquei, aquele que sai com uma e outra e não se importa. Sempre me importei demais, sempre me preocupei demais com a outra pessoa e no fim sempre me ferrei. Sei que não vou ser feliz se fizer essa mudança, mas também não estou feliz agora. É difícil apagar algo que sempre considerei de alto valor para mim.
Bom, não quero me prolongar mais. Ainda tinha tanta coisa pra falar mas fica para a próxima. Se você leu até aqui, agradeço a gentileza. Você é um incrível ser humano.
submitted by batistalex to desabafos [link] [comments]


2016.05.14 04:11 Paralelo30 MICHEL TEMER: O HOMEM (QUASE SEMPRE) CORDIAL

POR JORGE BASTOS MORENO
13/05/2016 13:08
Em certa noite de setembro de 1996, durante um jantar na casa de amigo em comum, o então presidente da Câmara, Luís Eduardo Magalhães, fumante inveterado, optara por ficar nos jardins da residência, para não incomodar os demais convidados, no salão. De repente, pede ao garçom para chamar o então líder do PMDB na Câmara, Michel Temer. Entre o pedido de Luis Eduardo e a chegada de Temer, demorou quase uma hora.
— Por que você demorou tanto, Michel? — perguntou-lhe amigo.
— É que eu não estava encontrando o dono da casa para pedir licença e vir até aqui.
— Não entendi. Você precisava de autorização para vir conversar comigo?
— Não, propriamente. É que para chegar aqui eu teria que pisar na grama. E eu não iria pisar na grama sem o consentimento do dono da casa.
Luís Eduardo caiu na gargalhada e profetizou mal:
— Assim, meu caro, você não vai ser presidente da Câmara nunca (Temer era candidato à sua sucessão). Presidente da Câmara tem às vezes que pisar até na cabeça de deputados inconvenientes.
Sem precisar pisar na cabeça de nenhum colega, Temer acabou por ser presidente da Câmara por três vezes, se igualando ao presidente e fundador de seu partido, o PMDB, Ulysses Guimarães. Só não superou Ulysses por causa de uma traição de Renan Calheiros, na gênese de sua complicada e tumultuada relação com o atual presidente do Senado.
'IDAS E VINDAS' NOS BASTIDORES
Em setembro de 2005, com a queda do presidente Severino Cavalcanti, o PMDB, que já tinha a presidência do Senado, quis também recuperar a da Câmara, lançando um candidato. O próprio Renan Calheiros comandou pessoalmente a operação e procurou Temer:
— Como ex-presidente da Câmara por duas vezes, você é o mais preparado para presidir a Casa. E como presidente do PMDB, representa o partido como ninguém. Já falei com o Lula (então presidente) e ele topa. Só depende de você.
E Temer, cerimonioso como sempre:
— Eu não estava pensando nisso. Mas, se tenho o seu apoio e o do presidente da República, seria uma indelicadeza não aceitar. Eu
Mal sabia Michel Temer que estava sendo usado por Renan apenas para barrar qualquer outra candidatura do PMDB, já que ninguém contestaria a escolha, e, assim, o presidente do Senado poderia ficar livre para contemplar um amigo de longa data e de seu partido de origem, Aldo Rebelo, do PCdoB.
Às vésperas do lançamento da candidatura do peemedebista, Renan procurou o Temer:
— Mudanças de plano. O Lula agora quer o Aldo de todo o jeito e vetou o seu nome.
Ao descobrir que Renan, na verdade, nem chegara a sugerir seu nome a Lula, Temer entendeu toda a trama, subiu à tribuna da Câmara, denunciou o golpe e desancou Renan. A partir daí, só voltaram a se falar quando o presidente do Senado caiu em desgraça no episódio Mônica Veloso e Temer, como presidente do PMDB, hipotecou-lhe solidariedade e foi um dos que também defenderam a renúncia de Renan como solução para o problema.
De lá para cá, as relações entre os hoje presidente da República e o do Senado nunca mais se normalizaram. Tudo que Temer faz é contestado por Renan. Quando o então vice assumiu a coordenação política do governo, foi bombardeado pelo presidente do Senado. No início das discussões sobre o rompimento do PMDB com o governo, Renan esboçou um apoio a Temer. Mas, logo após a decisão, criticou o presidente do partido.
Por tudo isso, na intimidade do Jaburu, Michel Temer costuma dizer que Renan é "um homem de idas e vindas”. Mau presságio para o novo governo? Pode ser. Mas, pelo histórico das suas relações com os governos eleitos a partir da redemocratização, isso dificilmente ocorrerá, pois Renan teve com todos eles, sem exceção, uma relação apenas de “vindas”.
CALVÁRIO PARA SE TORNAR VICE
Temer é um político calejado com essas histórias de “idas e vindas”. Logo na eleição de Lula, José Dirceu, a pedido do próprio presidente, abriu conversa com ele, visando o apoio do PMDB ao novo governo. Porém, as negociações foram abortadas pelo próprio Lula no momento em que tudo já estava acertado. Michel, mais uma vez, ficou na mão. Eis que, para a sua surpresa, surge em seu socorro justamente uma das estrelas petistas consideradas mais radicais e que, por natureza, deveria ser o primeiro a combater uma aliança com um partido centrista: Tarso Genro. Ele convenceu Lula a retomar as negociações com Temer, a quem passou a combater mais tarde, já como vice da presidente Dilma Rousseff.
Para chegar à condição de postulante à vice na chapa de Dilma, Temer passou por um verdadeiro calvário, semelhante ao de Sarney para ser vice de Tancredo Neves, enfrentando sabatinas, críticas e mesmo vetos. O primeiro a questioná-lo foi o próprio patrono da chapa, Lula:
Temer, você só será candidato na chapa do PT se você romper com Eduardo Cunha.
E o candidato a noivo negou ao pai da noiva ter qualquer tipo de relação extraparlamentar com o hoje afastado presidente da Câmara.
O senador Lindebergh Faria, que agora chama Temer de golpista, participou de calorosos debates entre os que queriam e os que rejeitavam o nome do presidente do PMDB. Ele estava no primeiro grupo. Ao sair de uma dessas reuniões, desabafou, quase que profetizando:
O pessoal está maluco, só pode! Sabe o que estão argumentado agora? Que, por ter presidido a Câmara por três vezes, Temer vai ter mais domínio sobre o Congresso do que Dilma. E que, por isso, em caso de enfraquecimento político dela, ele poderá ser beneficiário disso.
REFLEXÕES ANTES DE ASSUMIR O GOVERNO
Dez dias antes de assumir a presidência, sentado, exausto, num sofá da varanda do Jaburu, contemplando — incomodado, mas sem reclamar — Moreira Franco dando baforadas de fumaças do seu charuto, contaminando todo o ambiente, o então vice reconhecia numa roda em que estavam também Eliseu Padilha, Henrique Alves e Geddel Vieira Lima, que, mesmo se tivesse tido um excelente relacionamento com a presidente Dilma nesses cinco anos e quatro meses e meio de governo, estaria, em função da abertura do processo de impeachment, sendo acusado de traição.
— É isso que me deixa muito caceteado, com ela e com Lula. Eles sabem do meu respeito pelo estado democrático e de direito. Sabem do conceito que tenho nos meios acadêmicos e jurídicos. Sabem que, presidente da Câmara por três vezes, nunca me afastei um milímetro da Constituição e do regimento da Casa.
E prosseguiu:
— Naqueles episódios em que o Jaques Wagner e o Edinho tentaram me trazer para o combate equivocado do instituto do impeachment, eu me rebelei não porque estava contra ela, mas porque eles botaram na minha boca declarações que eram verdadeiros acintes à Constituição. E eu tenho que zelar pelo conceito que tenho no meio jurídico. Um disse que eu iria assessorar juridicamente a presidente, como se isso fosse atribuição constitucional do vice. E, outro, que eu achava improcedente juridicamente a aceitação do pedido de impeachment do presidente da Câmara. Isso me deixou mal perante a Suprema Corte do meu país.
UM VICE CALEJADO
Mas, até em brigas com ministros da Dilma, Michel Temer está calejado. A mais grave delas ocorreu quando o PMDB ameaçava votar contra uma medida do governo e Temer recebeu um telefonema do então ministro da Casa Civil, Antônio Palocci, no qual percebeu na hora que estava em viva-voz para Dilma poder ouvir. Palocci começou a conversa com voz alterada e desrespeitosa. Temer o enquadrou no ato:
— Ministro, mude, por favor, o tom e o conteúdo da sua fala porque o senhor está se dirigindo ao vice-presidente da República, que, de acordo com a Constituição, lhe é hierarquicamente superior.
Palocci baixou a voz, mas partiu para a ameaça. Insinuou que ao permanecer nessa posição, o PMDB poderia perder ministérios importantes, como o da Agricultura, cujo titular na época, Wagner Rossi, era indicado de Temer.
Sentindo-se diretamente atingido pela chantagem de Palocci, mesmo sabendo que Dilma estava ouvindo, Michel Temer abandonou, pela primeira vez na vida, a sua reconhecida classe e elegância e respondeu pausadamente para que todos os participantes ocultos dessa verdadeira teleconferência pudessem ouvir:
— Podem ficar com esse ministério de merda!
E desligou o telefone
O HOMEM CORDIAL SE TORNA PRESIDENTE
Como se vê, até um homem extremamente cordial pode perder a paciência. E Michel Temer é exageradamente cordial. Que o digam seus visitantes. Ele leva todos, indiscriminadamente, até à porta e só sai de lá depois que a visita parte. Às vezes, esse excesso de gentileza, constrange o visitante, quando o motorista some ou mesmo o carro enguiça. Temer fica lá, impávido, até que a pessoa vá embora.
E o presidente estranhava quando isso acontecia com ele, antes é claro, de ser autoridade. E conta um episódio de 30 anos atrás que o choca até hoje:
— Sabe que certa vez fui visitar um importante jurista de São Paulo, a quem eu admirava muito, e ele me recebeu já no escritório da sua casa e despediu-se de mim lá mesmo?
Hoje Michel Temer é a principal autoridade do país. O que acontecerá depois de deixar o poder? Talvez o mesmo de que quando deixou o secretariado do governo Franco Montoro, após exaustivas exposições na mídia. Foi dirigindo o próprio carro em direção à região onde nasceu, Tietê, parou no posto de gasolina para tomar um café e, na lanchonete, foi examinado atentamente pelo olhar de um senhor, que, finalmente, tascou-lhe a pergunta:
— O senhor não foi o Michel Temer?
É. Um dia o hoje presidente da República terá sido Michel Temer, principalmente se vencer os desafios que tem pela frente.
*Texto publicado na edição do dia 12/05/2016
http://oglobo.globo.com/brasil/michel-temer-homem-quase-sempre-cordial-19280294
submitted by Paralelo30 to BrasildoB [link] [comments]


2014.02.10 13:43 ClayDatsusara Homem casadoiro, aguenta aí!

HOMEM CASADOIRO, AGUENTA AÍ !!!
Tenho um amigo, não posso dizer que seja o meu melhor amigo, mas também não é dos piores. Esse amigo chama-se Milan. Quando um amigo precisa de um bom conselho, é nossa obrigação dá-lo. Então, no dia do seu casamento, eu disse-lhe: — Sabes que isto é uma farsa, não sabes? — Ei! É o meu casamento! É agora! Vai acontecer! Por isso pára já com essa conversa! Um amigo sabe quando deve parar com as conversas quando outro amigo lhe pede. Calei-me bem calado e olhei o jovem casal com preocupação quando se apresentou frente ao padre. Não é que não goste dela. Acho-a super, como em super-divertida, super-inteligente e super-bonita. A expressão bom partido pode ser usada com mulheres? Se sim, ela é um bom partido. Mas o Milan não devia casar com ela. Nem com ninguém. — Ela chama-se Sandrine e é daquele tipo de mulheres por quem perdemos a cabeça, ao ponto de pensarmos em casamento – disse-me o Milan no dia em que a conheceu – pena já ter enfeitiçado um tonto que caiu no conto do vigário. Ai Milan, Milan... se me tivesses deixado falar, repetia-te a sentença que proferiste há sete anos atrás. Que me lembre, Sandrine encantou – como serpentes hipnotizadas – mais 7 ou 8 “tontos” depois desse a que Milan se referira quando a conheceu. Nenhum deles chegou ao ponto de a levar ao altar, porém Milan aqui estava, perante uma assembleia de almas pouco católicas, disposto a abdicar do Sol. do seu bilhete de identidade. Nem um sol aos quadradinhos para ele, apenas um Cas. como em ficar em casa todas as noites. E toda a gente sabe que as mulheres preferem o sexo matinal, naquelas horas em que tanto elas como os maridos estão a trabalhar. Uma pena, portanto, meu amigo Milan, que aceites dar o nó apenas para garantir uma suposta exclusividade, mesmo que a tua mulher seja essa bomba sexual, se não vais desfrutar dela na frescura matinal, mas apenas naquelas noites em que chegais cansados do trabalho e com mais sono do que libido... Não, não posso falar, devo-te isso, Milan, o respeito de velhos amigos e a aceitação recíproca das escolhas pessoais. Ainda assim, a meio da celebração, farto do mambo-jambo filosofal do padre, levanto-me e saio da igreja, não me importando com os olhares intrometidos de uns quantos velhos do restelo. Blah! É certo que não vou chegar àquele ponto da cerimónia em que o padre pergunta aos presentes se há alguém que se oponha à união daquelas duas pessoas. Se houver alguém que se tenha levantado e saído a meio do casamento, isso conta? A resposta é certamente não, pela festa a que assisto da esplanada onde estou sentado a beber um martini, quando eles saem da igreja, braço-dado, Milan e Sandrine, duas das melhores pessoas que já conheci, um casalinho feliz a levar com arroz nas trombas e flashes nos olhos. Faço fast-forward à sessão fotográfica e passo directamente para o próximo capítulo: a chamada função. A razão pela qual os casamentos ainda mantêm certa popularidade entre os jovens é o copo-de-água, ainda que copos de água sejam difíceis de encontrar nas mãos dos convidados. Se não houvesse este isco enganador, de haver bebida e comida à discrição contra pagamento de uma avultada soma monetária eufemisticamente nomeada “prenda”, eu nunca poria os pés em tal convívio social. Se não fosse a bebedeira subsequente, ninguém iria à igreja. É a única contrapartida possível, depois de passar largos minutos a ouvir alguém pregar moralidades datadas: beber uns copos e esquecer tudo o que se ouviu. O que ainda é mais chato num casamento é querermos ter uns minutos de conversa com o noivo ou com a noiva, ou mesmo com os dois em simultâneo, e não conseguirmos! Há sempre algo a fazer, fotos, brindes, comidas a entrar, discursos, danças, brindes, mais músicas, palhaços, filmes, brindes, bolos, brindes de champanhe, fogo de artifício e sei lá o que mais, que quando olhas as horas já está tudo bêbedo, inclusive os noivos, bêbedos demais para ouvirem os teus argumentos razoavelmente acertados sobre os porquês dos casamentos falhados e dos divórcios de que se ouve falar todos os dias. Se calhar, nem o Milan nem a Sandrine têm na família um historial tão grande de divórcios como eu tenho na minha. Não digo que seja por isso que não me caso, mas se algum deles tivesse pais divorciados, dois irmãos divorciados, dois pares de tios e tias divorciados, uma prima divorciada e até um cão divorciado na família, duvido que pensassem sequer em casamento. Mas não é isso que digo à Sandrine quando a apanho entre duas danças com velhos babados de luxúria. Digo-lhe apenas que é errado fazer um homem pensar que todos os seus problemas relacionados com a infelicidade poder ser resolvidos com juras oficiais de amor e outras tretas. — Sabes bem que ele me pediu em casamento, não o contrário... — Se fosse ao contrário ele ia perceber que é bom demais para ti – digo-lhe, mas logo me arrependo. Não acho isso verdade, que ele seja bom demais para ela, e nem que ela seja boa demais para ele. Não vejo as coisas assim, ninguém é melhor do que ninguém, e ninguém pode ser de ninguém. Não se pode esperar que uma mulher nunca mais vá sentir desejo sexual por outros homens para além de nós apenas por decidirmos tomá-la como esposa... É insano pensar assim. E se ela nos desperta paixão, então também é de esperar que desperte sentimentos semelhantes noutros homens. A única coisa que pode salvar a equação é a fidelidade, mas esta tem sempre de ser uma incógnita, um grande x, ainda para mais nos dias que correm, em que a liberdade e a auto-determinação são, justa ou injustamente, dependendo dos casos, sobrevalorizadas. É um discurso assim que quero fazer à Sandrine, no dia do seu casamento, para cúmulo das maldades, mas só me sai aquela porcaria de frase sobre ele ser melhor do que ela. — Estás bêbedo – a Sandrine responde-me de imediato – e tens de arranjar uma namorada a sério, para perceberes... Fico sem saber mais o que lhe dizer. Desculpa é a única opção, por isso calo-me no meu orgulho , vendo-a ser levada para o centro da ribalta, para mais brindes e palavras bonitas. Antes de me apetecer cair para o lado, no torpor lânguido das 4 da manhã, ainda consigo falar com o Milan, mas já bebi demais para fazer algum sentido, e não querendo prolongar a tristeza das minhas figuras, digo-lhe apenas parabéns. — Obrigado... Eu sei que não temos estado juntos como nos velhos tempos, mas vou-te compensar. Deixa só o pó assentar. — O pó assentar. Claro – repito de forma pouco convincente, mas logo ganho energias para terminar a conversa num tom positivo – Não... A sério, fico feliz por estares feliz. Não precisas de estar comigo, tenho a certeza que é bem melhor estar com a Sandrine :) Em troca das minhas palavras simpáticas, recebo um abraço sentido e decido que é a forma perfeita de fechar a noite. — Milan, me voy, passa uma boa lua-de-mel e não gastes a tua pujança toda na Sandrine. Em 8 dias podes dar umas voltas sozinho. Já estive no Brasil e as locais gostam de rodízio. Não faças nada que eu não fizesse e essas tretas do género. Chau. Boa viagem. Diz à tua nova mulher que mais vale só que mal acompanhada... Estou a brincar, Milan, dá aí mais um abraço! Não, a sério, gostei deste show, alguns actores não pareciam muito na personagem mas tu parecias sincero! Globo de Ouro, Milan! Desculpa, tá, vou embora, tá... tá... A pesadíssima ressaca do dia seguinte é sinal indesmentível que me diverti, muito até. No meu entender são inversamente proporcionais, bebedeiras e ressacas, porque só só consigo beber muito se me estiver a divertir. Então, mesmo que não me lembre de tudo o que aconteceu no dia anterior, tenho a certeza que me diverti no casamento do Milan, nem que a maior parte do gozo tenha vindo do escárnio e mal-dizer. Não compûs propriamente canções, mas consegui estruturar boas e variadas razões para não concordar com o casamento e me rir por cima. Porém, devo dizer que o casamento pode mudar as perspectivas de alguém (de alguém como eu...) em relação a essa cena toda da fidelidade, sexo, consciência, desejo, culpa, compromisso, etc. Apenas duas semanas depois deste casamento, no fim de uma sessão de sexo matinal, entro naquele informe estado de tristeza post-coitum, olho para o corpo humano demasiadamente familiar que se enrosca em mim e sinto que tenho de fazer a pergunta que ela não quer ouvir: — Por que é que te casaste mesmo, Sandrine?
submitted by ClayDatsusara to escrita [link] [comments]


Eis que você sai com seus amigos

O que eu faço!? Meu noivo não aceita minhas amizades ...

  1. Eis que você sai com seus amigos

bom dia -----NÃO CLIQUE EM MOSTRAR MAIS----- Galerinha falta 3 inscritos para eu bater minha meta!!Brinks kkk Lin...